Categorias
Jogos históricos

A primeira excursão internacional do Paraná Clube

O Paraná Clube vive um dos momentos mais turbulentos de sua história. Fundado no final de 1989, o Tricolor nasceu da fusão de duas equipes importantes do cenário local dos anos 70 e 80, o Colorado e o Pinheiros, e nos anos 90 conquistou uma hegemonia estadual que projetava um grande futuro. Atualmente, entretanto, o Paraná está prestes a ser rebaixado para a Série D do Campeonato Brasileiro. Seguidas gestões desastrosas dilapidaram o sólido patrimônio que o Paraná possuía, e transformaram o clube em um mero coadjuvante do cenário esportivo do Estado do Paraná e do Brasil.

Assim sendo, muitos torcedores tentam se apegar a um passado nem tão distante, quando o Tricolor ditava as regras do jogo no Paraná. Na década de 90, além do título de Campeão Brasileiro da Série B, em 1992, o clube também conquistou o pentacampeonato estadual, algo que apenas o Britânia (um dos clubes de origem do Paraná) no início do século e o Coritiba, nos anos 70, conquistaram.

A visão que as pessoas tinham do Paraná era de que o clube tinha uma postura inovadora, algo similar ao que acontece hoje com o Athletico. E em 1994, quando ainda tinha “apenas” dois títulos paranaenses, o Paraná realizou sua primeira excursão internacional, algo que se repetiria apenas em 2002. 7

Em janeiro daquele ano, o Tricolor foi até a Costa Rica, na América Central, para a disputa do Torneio Internacional KLM, um torneio amistoso patrocinado pela companhia aérea que contou com a participação dos locais Deportivo Saprissa e Alajuelense, e do gigante alemão Borussia Dortmund, que tinha na delegação que foi a San José jogadores como Stéphane Chapuisat e Matthias Sammer. Enquanto o time curitibano estava em pré-temporada, todos os outros três times estavam em plena atividade. No Tricolor, uma das novidades era o volante Hélcio, que viria a se tornar ídolo do clube.

O Paraná estreou na competição em 16 de janeiro, no Estádio Alejandro Moreras Soto, diante da Alajuelense. Os anfitriões venceram por 2 a 1. O gol paranista foi marcado por Saulo, de pênalti. Saulo, o Tigre da Vila, é o maior artilheiro da história da equipe. Dois dias depois, foi a vez de encarar o Saprissa, no Estádio Ricardo Saprissa. O jogo foi frenético, terminando em empate por 2 a 2, com Claudinho e Saulo balançando as redes para o Tricolor.

No Estádio Nacional, contra o Borussia Dortmund, no dia 20 de janeiro, empate em 1 a 1, em jogo que – de acordo com as imagens disponíveis no YouTube – a arbitragem deu aquela contribuída com os adversários. O time alemão abriu o placar em um pênalti existente e Claudinho impediu a derrota. Caso tivesse vencido, o Paraná poderia, inclusive, ter levado o título, que ficou com o Alajuelense.

Antes de voltar ao Brasil, o Tricolor ainda jogou um amistoso com o Limonense, equipe que foi dissolvida em 2009 e é predecessora do atual Limón FC. Neste jogo, na cidade de Limón, a cerca de 100 km da capital San José, o Paraná garantiu sua primeira vitória internacional, vencendo pelo placar de 2 a 1. Os gols paranistas foram marcados por Claudinho, de cabeça, e Saulo, mais uma vez de pênalti, encerrando a primeira ida do Paraná Clube ao exterior.

Deixe um comentário